Futebol

18 ANOS SEM FEHÉR

25 de janeiro de 2004. Cumpre-se esta terça-feira 18 anos de uma das noites mais negras do futebol português. Em pleno Estádio D. Afonso Henriques, o Benfica vencia o Vitória de Guimarães por 1-0 quando o jogo entrava nos minutos finais. Miklós Fehér, jovem avançado húngaro de 24 anos, tentou retardar um lançamento lateral dos vimaranenses, levando o árbitro Olegário Benquerença a mostrar-lhe o cartão amarelo.

De sorriso no rosto após a advertência do árbitro da partida, Fehér caiu no relvado inanimado, gerando minutos de muita apreensão, com as equipas médicas a entrar em campo e a realizarem várias tentativas de reanimação. Fehér acabaria por não resistir, apesar de ainda ser transportado para o hospital, onde acabaria por falecer. No relvado, as lágrimas e a consternação de todos os intervenientes misturava-se com a incerteza que reinava nas bancadas.

Em homenagem a Miklós Fehér, as águias decidiram que o número 29 nunca mais poderia ser envergado por nenhum futebolista, sendo colocado um busto do jogador junto à Porta 18 do Estádio da Luz. O jovem húngaro deixava assim marcada a história dos encarnados e do futebol português, num ano em que os encarnados acabariam por vencer a Taça de Portugal, com os jogadores e equipa técnica a fazerem questão de dedicar a conquista a Fehér.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo