Futebol

Antônio Silva & Gonçalo Ramos No Mundial Do Catar

Em Alvalade, o jogador do Benfica, que entrou aos 67 minutos, a substituir André Silva, tornou-se o 59.º estreante na 'era' Fernando Santos, que também tinha feito 'nascer' o 58.º, o jovem central António Silva, também do clube da Luz.

Segundo o jornal disportivo, o António Silva, de 19 anos, cumpriu os 90 minutos no centro da defesa portuguesa, na primeira parte ao lado de Rúben Dias e na segunda tendo junto a Pepe, de 39 anos.

Por seu lado, Gonçalo Ramos aproveitou os 23 minutos a que teve direito para ‘encostar’ para o 3-0, aos 82, assistido por Raphaël Guerreiro, e para assistir, de calcanhar, o seu companheiro de equipa João Mário, para o 4-0, aos 84.

Na lista dos estreantes de Fernando Santos, as duas ‘águias’ sucederam a Vitinha, médio do Pais Saint-Germain, que se estreou, ainda como jogador do FC Porto, em 29 de março, dia em que Portugal bateu em casa a Macedónia do Norte por 2-0 e garantiu um lugar na prova marcada para o Qatar.

Portugal já estreou, assim, três jogadores em 2022, sendo que, na época desportiva 2021/22, Fernando Santos fez alinhar pela primeira vez na seleção ‘AA’ mais quatro jogadores.

Otávio estreou-se em 04 de setembro de 2021, num particular em campo neutro com o Qatar (3-1), e Diogo Costa, Matheus Nunes e Rafael Leão cumpriram todos o jogo inaugural em 09 de outubro, frente à mesma equipa, no Estádio Algarve (3-0).

Na primeira metade de 2021, também se tornaram internacionais ‘AA’ Nuno Mendes e Palhinha, em 24 de março (1-0 ao Azerbaijão), Pedro Gonçalves, em 04 de junho (0-0 em Espanha), Rui Silva, em 09 (4-0 a Israel) e Diogo Dalot em 23 (2-2 com a França), na terceira jornada da fase de grupos do Euro2020.

Para encontrar mais estreantes, é preciso recuar a 2020, mais precisamente a 11 de novembro, ao 7-0 a Andorra: foi a vez de Domingos Duarte, Pedro Neto, que inaugurou o marcador, e Paulinho, autor de um ‘bis’.

No mesmo ano, também se tinham estreado Trincão (4-1 à Croácia, em 05 de setembro), Rúben Semedo (0-0 com a Espanha, em 07 de outubro) e Daniel Podence (3-0 à Suécia, em 14 de outubro).

Em 2019, tinham sido Dyego Sousa, João Félix e Diogo Jota, que sucederam a Mário Rui, Rúben Dias, Gedson, Sérgio Oliveira, Hélder Costa – o segundo a marcar no primeiro jogo na ‘era’ Fernando Santos, depois de João Cancelo -, Pedro Mendes e Cláudio Ramos, os novos internacionais ‘AA’ de 2018.

No ano anterior, foi a vez de Marafona, Bruma, Bruno Fernandes, Edgar Ié, Kévin Rodrigues, Gonçalo Paciência, Ricardo Ferreira e Rony Lopes.

Em 2016, ano marcado pela conquista do título europeu, com um 1-0 à França, após prolongamento, na final, graças a um golo do ‘herói’ Éder, cumpriram o primeiro jogo na seleção principal Renato Sanches, André Silva, João Cancelo e Gelson Martins.

Anthony Lopes, André Pinto, Paulo Oliveira, Bernardo Silva, André André, Ukra e Danilo estrearam-se com Cabo Verde, em 2015, ano ao longo do que se juntaram Daniel Carriço, Nélson Semedo, Gonçalo Guedes, Lucas João, Ricardo Pereira e Rúben Neves.

Fernando Santos começou a ‘coleção’ logo no primeiro encontro, em 11 de outubro de 2014, num particular com a França, em que fez alinhar Cédric e João Mário. No mesmo ano, também ‘promoveu’ Raphaël Guerreiro, Adrien Silva, José Fonte e Tiago Gomes.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo