Notícias

Atenção! Vítor Bruno

Declarações de Vítor Bruno, adjunto do FC Porto, após o empate 1-1 com o Santa Clara, nos Açores, em jogo da 11.ª jornada da Liga Bwin.

Segundo jornal “a bola” o adjunto do Fc Porto deixou seguintes declarações:

Falta de frescura? “Sim. Essa terá sido a nossa grande missão nos dois dias entre os jogos: tentámos ao máximo na carregar na barra da energia dos jogadores, jogámos 60 e poucas horas depois de jogar na Liga dos Campeões. Nesse jogo subimos um ou outro degrau no sucesso e no que planeámos no início da época, chegar a um objetivo claro. Conseguimo-lo e depois hoje o desafio era tentar saltar degraus na humildade e na forma de atacar o jogo. Não quero dizer que jogadores não foram humildes, os jogadores tentaram, caíram no lugar comum de tentar gerir um jogo que não estava resolvido e do outro lado tivemos equipa que se bateu de forma muito brava, que acabou por empatar com mérito.”

Empate após apuramento na Champions é um murro forte? “É um murro mas é importante que nós, equipa técnica, jogadores, aprendamos com os erros. É o maior ato de inteligência que o ser humano pode ter. Lançámos esse desafio aos jogadores, porque já tínhamos passado por isto no passado, quando recebemos o Sporting e tivemos uma vitória contundente por 3-0, a seguir vamos a Vila do Conde e foi aquilo que foi. O desafio lançado foi esse, não cair no mesmo erro de chegar aqui e pensar que era jogo praticamente ganho, como dado adquirido. Não foi e viu-se. Um adversário muito competente a defender e que se agarra a tudo. Temos de perceber que do outro lado estarão sempre 11 jogadores que vão fazer tudo para conquistar pontos. Quando não estamos no máximo da nossa capacidade, não só de talento, mas também de capacidade de trabalho… A capacidade de trabalho a espaços esteve lá, o talento hoje… Hoje houve muita gente que ficou aquém. Nós procuramos sempre que o todo seja maior do que a soma das partes e hoje não aconteceu. Nem todas as partes se calhar estiveram ao nível que nós pretendíamos e o resultado foi o que foi.”

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo