Futebol

Cristiano Ronaldo E O Futuro

Os sócios do Fc Porto apontam o Cristiano Ronaldo como um jogador certo para assinar contrato em janeiro. segundo o jornal português

Declarações De Cristiano Ronaldo

A morte do filho: “Piers, [a morte do filho foi] provavelmente o pior momento que passei na minha vida desde a morte do meu pai. Quando temos um filho esperamos que tudo seja normal. Passámos por momentos difíceis, perguntámos porque nos aconteceu a nós. Foi difícil perceber o que se passava com as nossas vidas. O futebol prosseguiu, com muitas provas… e foi o momento mais difícil como família.”

Feliz e triste: “”Tivemos momentos difíceis, mas temos mais filhos, temos a Bella e temos de estar contentes também. Tento explicar à minha família e amigos próximos. Nunca pensei estar feliz e triste ao mesmo tempo. Sorrir ou não. Não sabes como reagir, para ser honesto.”

Difícil de descrever: “Não sei a palavra para descrever o que senti, mas foi um sentimento louco. Estou contente por termos ao menos a Bella. Um morreu e a outra sobreviveu. Mas é difícil de explicar.”

Os outros filhos: “Em casa as crianças perguntavam onde estava o outro bebé. O mais velho falei com ele, chorámos juntos. Percebia, mas ao mesmo tempo estava um pouco confuso. Os outros continuavam a perguntar.”

Aproximação a Georgina: “Foi um processo difícil. Ao mesmo tempo tornei-me melhor, mais próximo, com a Georgina também. No meu caso foi melhor nesse aspeto, tornei-me mais próximo, mais amável com a Georgina. Comecei a ver a vida com outra perspetiva.”

As cinzas: “Para terminar esse capítulo, foi o momento mais difícil nestes seis meses. As cinzas estão comigo, como as do meu pai. Quero ficar com elas o resto da vida, guardo-as para mim. Fiz uma capela em casa. Guardo o meu filho e o meu pai. Estão ao meu lado. Ajudam-me a ser melhor homem, melhor pessoa. E falo com eles e ajudam-me.”

Homenagem dos adeptos do Liverpool: “Nunca esperei. Tenho a oportunidade de dizer obrigado por essa delicadez que tiveram comigo. Recebi cartas da família real, da família da rainha. Surpreendeu-me imenso. Por isso digo que respeito muito a comunidade britânica, a forma como me trataram nesse momento foi espectacular.”

Bella [filha que sobreviveu]: “Estamos muito orgulhosos, estamos todos. É uma miúda espetacular, estamos muito contentes, somos pais felizes. Não sei se teremos mais filhos, creio que estamos bem por agora, mas nunca se sabe. Queremos desfrutar um bocado destas idades deles”

O que passou: “É muito difícil jogar depois disso. Tive apoio da família, a Georgina disse-me para ir, que ia ajudar e ia esquecer um pouco desta situação. Treinar até era bom nesse aspeto. Mas o futebol ‘anda’ muito rápido, jogos, treinos, até a Seleção. Nunca tens tempo para parar. A Georgina deu-me forças também. Ela é muito forte. Ajudámo-nos. Mas ela sofreu quando era jovem, nasceu na Argentina, teve problemas, tem uma vida e uma história curiosa. Ajudava a levantar-me quando eu estava em baixo. Somos um casal feliz e estou contente por ela estar ao meu lado.”

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo