Futebol

Luís Gonçalves, Pepe e Bruno Tabata Podem Estar Suspenso

liga pede suspensão a Luís Gonçalves, durante três anos pelo envolvimento nos incidentes finais

A Comissão de Instrutores (CI) da Liga pede castigos a Luís Gonçalves, Pepe e Bruno Tabata, pelo envolvimento nos incidentes no final do clássico entre FC Porto e Sporting (1-1), a 11 de fevereiro, no Estádio do Dragão, da 22.ª jornada do campeonato. As acusações ao diretor-geral do FC Porto, ao defesa-central dos dragões e ao avançado do Sporting já foram deduzidas. Os três podem, agora, defender-se e a decisão será, depois, tomada em audiência disciplinar. Luís Gonçalves arrisca o maior castigo – três meses a três anos de suspensão – enquanto os jogadores podem ficar entre dois meses a dois anos suspensos.

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol anunciou, a 15 de fevereiro, os primeiros castigos aplicados pela confusão e agressões no final do clássico. Luís Gonçalves foi suspenso preventivamente de forma não automática por 20 dias ao mesmo tempo que foi instaurado um processo disciplinar «por ter entrado no terreno de jogo para provocar um conflito com um adversário». A CI recolheu, entretanto, elementos de prova e pede, agora, o castigo do dirigente.

Pepe e Bruno Tabata arriscam, como se disse, suspensões de dois meses a dois anos. O defensa-central do FC Porto e o avançado dos leões foram suspensos pelo CD dois jogos, preventivamente e de forma automática, também a 15 de fevereiro. Depois de cumprirem o primeiro castigo puderam ser, novamente, utilizados.

Rúben Amorim, treinador do Sporting, foi, até, irónico na conferência de antevisão do clássico com o FC Porto, da primeira mão da Taça de Portugal, a 2 de março, em Alvalade, quando afirmou que não seria aplicado castigo algum aos jogadores até Portugal jogar o play-off do Mundial, no qual Pepe pôde jogar contra a Macedónia do Norte, jogo no qual foi um dos melhores em campo. Um dia depois de Portugal carimbar a qualificação para o Catar, sabe-se que o CD já deduziu acusação.

O defesa-central, revelou o CD, «pontapeou um diretor da equipa adversária [Hugo Viana], praticando um ato de conduta violenta», enquanto o avançado «empurrou um diretor da equipa adversária [Luís Gonçalves], praticando um ato de conduta violenta».

Já o processo referente ao diretor desportivo do Sporting, Hugo Viana, também envolvido na confusão final, desentendendo-se com Pepe, foi arquivado. Hugo Viana tinha sido suspenso preventivamente de forma não automática por 20 dias. A instauração do processo disciplinar justificou-se, segundo o CD, «por ter entrado no terreno de jogo para provocar um conflito com um adversário». A CI concluiu que isso não se verificou e Hugo Viana foi ilibado.

Em processo sumário, o guarda-redes Marchesín (um jogo de suspensão), o defesa Coates (dois) e o médio Palhinha (3) também foram castigados.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo