Futebol

O Stephen Eustáquio

O médio Stephen Eustáquio vai representar o Canadá no Mundial'2022

Segundo o jornal disportivo o Stephen Eustáquio concedeu na quarta-feira uma entrevista ao Canal 11 na qual onde deixou várias declarações:

“Imagino sempre, porque temos de sonhar com isso. Sinto que estou a viver os melhores dias da minha vida, represento um grande clube como o FC Porto, também. Vai ser uma experiência única. Viemos para ganhar, não foi para passear. É um desafio muito grande, mas temos as nossas armas e vamos aproveitá-las”, afirmou o médio que tem contrato com o FC Porto.

Sobre o bom momento de forma nos azuis e brancos, Stephen Eustáquio explicou qual foi o segredo para esta afirmação nos portistas.

“Acho que tive a humildade suficiente para perceber que tinha de crescer muito mais o meu jogo, trabalhei muito para que isso acontecesse e da parte da equipa técnica houve paciência para acreditar nas minhas capacidades”, prosseguiu o canadiano, que falou ainda na expulsão diante do Benfica.

“Foi um momento difícil para mim, foi um momento em que falhei, deixei a minha equipa a jogar com 10 num jogo importante. São coisas em que pensei, fui para casa e a única forma de dar a volta foi estar lá no dia seguinte para treinar e tentar compensar um momento desses. Senti essa confiança do clube e da equipa técnica e segui em frente, dei o máximo nos jogos seguintes. A luta está aberta, estamos nos oitavos de final da Champions, na Taça de Portugal, na Taça da Liga, que também é importante para nós, os oito pontos no campeonato são recuperáveis, é possível, vamos fazer por isso”, vincou.

Eustáquio abordou ainda a saída de Vitinha e o peso no onze inicial portista que ganhou com a transferência do médio para o PSG.

“No início da época, muita gente falava na saída do Vitinha. Tenho o prazer de dizer que ele é meu amigo, de que joguei com ele, contra ele, é um craque da cabeça aos pés. Na altura, a comunicação social dizia que o FC Porto precisava de um médio, o clube nunca o disse, e eu tentei não ouvir isso, é difícil ouvir que se precisa de um médio quando tu és médio, mas com características diferentes. Mas só estava focado em ajudar o FC Porto, queria ser o médio que a equipa precisava naquele momento, e o míster deu-me o livro e tentei estudá-lo. Não quero ser comparado com o Vitinha, acho que ele teve o percurso que teve, e muito bem, é um dos melhores médios com bola no Mundo, e não quero ser comparado com ele. Respeito o que ele fez, mas estou a tentar fazer o meu percurso, estou aqui para ajudar o FC Porto. É injusto compararem-nos”, finalizou Stephen Eustáquio.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo