Futebol

O Treinador Do Sporting

Declarações de Rúben Amorim, treinador do Sporting, após a derrota com o Boavista (2-1) na sétima jornada da Liga.

Análise: “Sim, completamente injusto, mas é nessa fase que estamos no campeonato. Estamos a jogar como uma equipa grande e falta-nos a consistência nos resultados. Isso tem a ver com aproveitar as oportunidades, temos de ser melhores com a bola à frente da área. O Boavista foi duas vezes à nossa baliza e marcou. É esse o resumo do jogo. Temos de ser mais consistentes e fazer as oportunidades que temos.”

Frustrante não virar o jogo: “É frustrante porque entrámos na segunda como na primeira, com muita calma e não ficámos desesperados. Com o jogo completamente controlado sabíamos que ainda tínhamos tempo, depois o penálti tirou-nos completamente do jogo, com festejos, a demorar com substituições, o que é normal, acabou praticamente ali o jogo. Podíamos ter feito melhor, mas não era o nosso dia.”

Sem tempo para reagir: “Obviamente que sentimos mais a urgência de ter de marcar um golo. Um empate é um ponto, não é a mesma coisa que uma derrota. Mas queremos sempre vencer. Ficámos com alguma pressa e sem clarividência para dar a volta. Os rapazes mesmo assim tentaram ao máximo, não conseguiram. Temos de ser melhores, olhar para os golos… Houve um grande golo, coisas que não controlamos. Depois o penálti é de uma bola longa na qual temos de acertar na cabeçada. Mas temos de evitar os golos e temos de marcar mais.”

Não houve deslumbramento: “O princípio de tudo é isso. Temos de ser muito fortes ao olhar para a classificação. Temos de manter o foco. Não estamos a conseguir em certos jogos fazer golos, sofremos em poucas oportunidades. Temos de pensar no futuro. O segredo é isso, não houve descomprimir dos jogadores. O resultado é injusto, mas mesmo assim podíamos ter feito melhor.”

Pausa benéfica: “Não, principalmente uma equipa grande que tem uma paragem depois de uma derrota sente muito e fica a pensar nisso. Independente da forma como jogam as equipas grandes têm de ter consistência. Estamos a ter momentos altos, momentos bons, em que por vezes perdemos jogos e pontos que certamente nos vão sair caros no futuro. Cá estaremos para assumir as responsabilidades. Nunca atiro a toalha ao chão. O projeto do Sporting é muito longo. Não tem a ver com este treinador e esta época. Temos de ser mais consistentes, de resto está lá tudo. Estamos no caminho certo.”

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo