Futebol

Presidente Do Benfica Deixa Declarações

Em declarações à BTV, Rui Costa fala aos adeptos sobre as movimentações do clube no mercado de transferências.

Operações de mercado e contas: “Fizemos 128 milhões brutos com mais 33 em suspenso em bónus. Há a reter comissões, que não há hipótese, 10% são inevitáveis, é o patamar internacional e não há como fugir. Para ser claro nas operações de mercado, não pode falhar nada. Temos 63,8 milhões em contratações. Tínhamos de ter em atenção, na parte financeira, complemento de tesouraria. Estrategicamente, este ano era uma questão desportiva, sem arriscar questões no fair-play financeiro, e temos de ver os ativos. Até hoje não tivemos nenhum perdão bancário e temos de viver com o que temos. Foi exercício equilibrado. O que fizemos foi bem feito e criámos esse equilíbrio para o futuro. Podemos ver neste plantel quantas mais-valias temos para o futuro. Temos Morato, António, Enzo, Florentino, Gonçalo Ramos, Henrique, Paulo Bernardo, vão ser mais-valias incríveis. Não olhar a números, não deixando de ser racional, mas sem estar obcecado. Nunca falhámos com nada, nunca deixámos de cumprir. E temos plantel coeso com garantias para uma época longa. Estamos no início desta reestruturação, precisamos de tempo para equilibrar o que queremos no Benfica. Para olhar para a parte financeira, primeiro temos de olhar para a desportiva. Foram muitas operações, reestruturação grande. Sabemos o caminho que queremos levar e sabemos que a estrada é muito longa, mas estamos no bom caminho. Gostava de realçar o trabalho da administração da SAD, comissão executiva, trabalhamos todos pela forma como trabalhamos o Benfica.”

Número de jogadores ideal: “Ponto principal era aportar qualidade à equipa. Tínhamos pilares, como nunca ultrapassarmos os 27 jogadores no plantel. Não iremos ter mais de 21 contratados no plantel, para completar o grupo teremos sempre nossos da formação.
O número ideal para mim será sempre 20 e não 21.”

Contratação de Brooks e plantéis mais curtos: “A lesão de Morato na véspera do fecho do mercado, foi quando Vertonghen estava encaminhado para a Bélgica, levou-nos a ir ao mercado de recurso pelo Brooks, o que dá 30 jogadores. Teremos planteis mais curtos, sempre fui de opinião que plantel curto é mais coeso e não retira opções ao treinador que está à frente da equipa. Aqui não chegámos aos números que queríamos, mas esta é a explicação para isso.”

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo